Vale prorrogar Tributos Federais na COVID-19? Veja como usar essa MP a seu favor!

por | abr 15, 2020

E AI, VAI PRORROGAR OS IMPOSTOS COM BASE NA MP…??? TE ACONSELHO ASSISTIR ESTE VÍDEO ANTES!!!

 

Nossos clientes supermercadistas, varejistas e atacadistas, além dos seguidores do Blog da Mix Fiscal levantaram algumas questões quanto a utilização da medida provisória publicada na última sexta-feira no Diário Oficial da União e nossos diretores e  especialistas no assunto fizeram suas observações aqui!

Estamos nos referindo à portaria ME nº 139/2020, que trata da prorrogação do prazo para pagamento de tributos federais, estando compreendidos nesta flexibilização o INSS, PIS/PASEP, e COFINS, cujos pagamentos dos meses de março e abril poderão ser pagos em julho e outubro, respectivamente.

Mas a pergunta mais comum é “Com os valores disponíveis nos caixas das empresas, qual caminho mais prudente a  tomar?”

Fale com a Mix Fiscal agora mesmo por Whatsapp ou ligue para (19) 4141 – 6943 e se beneficie desta prorrogação em favor de sua empresa!

Se os pagamentos dos tributos podem ser  prorrogados, qual a melhor forma de aproveitar os créditos tributários?

Segundo nosso Diretor Comercial Douglas Diniz, é muito importante não se esquecer que as guias postergadas se acumularão às guias dos novos meses de vencimento, por isso a utilização desta flexibilização deve ser feita de maneira consciente: “Nossa sugestão é que o pagamento destas guias  seja realizado dentro da competência. Alertamos principalmente, que não deixe de monitorar o cadastro fiscal de suas mercadorias para que sejam cumpridas as obrigações acessórias ininterruptamente, sem criar lacunas durante este período.”  

Prorrogar a recuperação de créditos fiscais retroativo implica em possíveis perdas?

De acordo com nossos especialistas em diagnóstico fiscal e previdenciário, com passar dos meses há uma perda já que a análise é feita sobre até 60 meses retroativos.

Estes meses que se deixou de diagnosticar são créditos que deixam de estar disponíveis para serem recuperados. “O ideal é que em momentos instáveis na economia mundial, como este da Covid-19, todos os serviços fiscais e tributários mantenham-se ativos como em qualquer outro”, complementa Ana Cláudia Oliveira, Gerente Fiscal de Diagnóstico.

De um ponto de vista estratégico, qual o melhor aproveitamento para os créditos tomados?

No primeiro boom pandêmico, podemos observar que houve um aumento nas vendas de produtos fornecidos pelos nossos amigos e clientes supermercadistas, e assim respectivamente, os impostos sobre o lucro. 

Como os créditos federais podem ser compensados entre si, portanto, sob um viés empreendedor, uma das decisões mais assertivas neste cenário, é aproveitar destes créditos tomados para reduzir a base de cálculo do IR – Imposto de Renda Jurídico e da CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido.

 

Fonte:
Diário Oficial da União (DOU) – ME nº 139/2020